SETEMBRO AMARELO

Há 5 anos o Brasil adotou a campanha setembro amarelo, dedicada a prevenção ao suicídio. Inicialmente a campanha foi criada nos EUA por amigos de um jovem que morreu por suicídio. Esses ficaram muito sensibilizados, visto que o amigo não
apresentava sinais de que poderia querer morrer. Sua paixão na vida era seu carro amarelo, sendo assim, cor símbolo para o que a OMS (Organização Mundial da Saúde)
instituiu como 10 de setembro: Dia Mundial da Prevenção ao Suicídio.

Pensar na morte é algo que eventualmente faz parte da vida. Contudo, pensamentos suicidas ou tentativa de morte por suicídio ocorrem em momentos de crise e desesperança, geralmente de forma impulsiva, quando uma pessoa não consegue enxergar uma saída para seu sofrimento.

É muito comum nesses casos a presença de transtornos mentais (diagnosticado por especialistas em saúde mental) e ou abuso de substâncias, além de eventos psicossociais negativos que podem motivar o ato (falência, discriminação, violências, entre outros). E, ao contrário do que muita gente acredita, o maior fator de risco para o suicídio é uma tentativa anterior! Assim, na urgência de acabar com a dor e os problemas, desejos de vida e morte se confundem no sujeito.

Acolher adequadamente a pessoa durante uma crise pode interromper o impulso e reforçar o desejo de viver, reduzindo o grau de intenção e risco.

De acordo com o CVV, 90% dos suicídios podem ser evitados. Tendo isso, sempre é possível intervir e ajudar, desde que proporcionado o acolhimento e escuta empática (sem julgamentos) a pessoa que se encontra em sofrimento intenso. Também não podemos esquecer de quem sobrevive a esse ato. Seja a própria pessoa, seja a família ou amigos, quem fica ou sobrevive pode carregar um forte estigma, sentimento de culpa ou vergonha, necessitando também de acolhimento, suporte e cuidados.

O CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) é considerado principal ponto de atenção a pessoas sob risco de suicídio, dispondo de equipe multiprofissional especializada em saúde mental que trabalha de forma articulada com a rede de saúde.

O CIAPS é um consórcio público que promoveu a implantação e realiza a gestão do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Modalidade I, para atendimento dos usuários do Sistema Único de Saúde – SUS dos municípios de Apiúna, Ascurra e Rodeio.

Quem apresenta pensamentos suicidas precisa saber que não está sozinho!

Busque e ofereça ajuda! Converse com pessoas de sua confiança.

Procure profissionais de saúde mental da sua região:

CAPS, SAMU, UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE e HOSPITAL

Ou LIGUE 188 CVV (Centro de valorização da vida)